sábado, 4 de setembro de 2010

ENTRE REFORMAS E FLORES

HOUVE UM BOM MOTIVO para eu deixar de postar por todo esse tempo.
Assumi a tarefa de ser síndica de meu condominio e como não encaro a tarefa como "título nobilitário", nem "trabalho para aposentado preencher seu tempo", fui a cata de todas as pendências e necessidades. Felizmente a administração anterior deixou em ordem toda a contabilidade do prédio, diga-se desde já que tudo bem certinho. Fico com a parte técnica, que gosto de fazer.
Minha proposta inicial foi a reforma do banheiro velho dos fundos e do barracão de despejos, para transformá-los em áreas civilizada e funcionalmente utilizaveis.
E que susto quando descobrimos as "gambiarras" e as erosões causadas pelos encanamentos rompidos!
Se não iniciássemos a "pequena reforma", não encontraríamos um problemão que estava bem oculto por sob o piso do banheiro. As manilhas se romperam e as águas levaram a terra embora, formando um imenso bolsão de lama. Mais um pouco e o pobre do Paulinho, que aparece na foto abaixo limpando as botas de cocô!, cairia num mar de lama enquanto lia seu gibi na hora do almoço, calmamente sentado no troninho!
Deus nos cutuca de várias maneiras. Uma pequena reforma mostrou um grande problema, que felizmente já está sendo bem solucionado.
Mas nem tudo é só cocô!
De repente, uma orquídea que eu pedi pro Paulinho colocar na árvore do jardim da frente ao prédio no ano passado resolveu nos dar um presentão e soltou de uma só vez 4 lindas flores! É como se falasse: "-Não fica triste, não! Olha, tó proceis!" E todos os que passam em frente ao nosso portão param para admirar as nossas lindas orquídeas.

(banheiro detonado e barracão com infiltrações)
(gambiarra elétrica encontrada na reforma e a quebra do piso)

(paredes sendo descascadas)
(uma alavanca de ferro de 1,50m entra pelo buraco de erosão e um pneu é encontrado na caixa de passagem)
(tubulação de ferro substituida e a água passando para a terra onde não havia mais canos)

(Evandro e Paulinho mostrando a barra de ferro. Paulinho limpando as botas)

(As quatro musas de nosso jardim)
Tudo vem ao seu tempo.

2 comentários:

Iliane disse...

que bom que assumiu ersaa tarefa com vontade de fazer o melhor!!!é uma tarefa ardua..mas..quando a gente gosta e tem pulso firme tudo dá certo sim!é para o bem de todos! né?coragem..e boa sorte!.li

Luciana disse...

rá! adorei esse post e encaixa perfeitamente comigo kakakaka tbm assumi aqui kkkkk mas bem ao contrario de vc, aqui as coisas estão todas de pernas pro ar... o predio tem mais de 30 anos, e nem CNPJ ele tem!!! pode isso??? dá pra ter uma idéia do que tô passando hehehehe
Adorei seu bichano! Bjkssssssss
**vou voltar muitas vezes pra ler tuas soluções ;o)

Marcadores

abobrinha acrílico açúcar mascavo Aeronáutica alcachofra Alemanha almôndegas Altamiro Carrilho Alzheimer amigos amora animações animais aniversário Ano Novo anos 60 antroposofia Aparecida aposentados arroz artes plásticas artesanato Áustria aveia avelãs azeite bacalhau bairro bananas barbante Barbara Fürstenhöfer batatas Bienal do Livro SP bifum bijuteria biscoitos biscouit bolinhas bolinhos bolos bombons boneca brinquedos Bruce Buche de Noel café capas casinha de bonecas casinhas de papelão castanhas catupiry CD cenoura cerâmica chantily charges cheesecake chocolate chorinho chuchu chuvas de verão cidade cinema clima Clube da Aeronáutica (RJ) coalhada coco cogumelos colar comida caseira compotas condomínio confeitaria confeitos contos de fadas coragem coral corrida de São Silvestre costura cotidiano cremes CRFA crianças cristãos crochê crônica culinaria culinária culinária. livros cultura Cunha cupuaçu damascos decoração Dengue desenhos dia de reis dicas doces docinhos documentos educação empadas Encontro QFO enfeites entrada ervas escultura FAB familia família farinha farinha integral feltro festas fitas flores fonoaudiologia forno foto fotos antigas framboesa frango frituras frutas frutas cristalizadas frutas secas frutos do mar Fundação Casper Líbero ganache gatos gelados gelatina geléia genealogia glacê real golpes grãos gratinado gratinados groselha guaraná guirlanda Helena Sangirardi História histórias idéias para festas idoso imaginação imigrantes imitação. inspiração intercâmbios interior inverno iogurte Japão Jesus Julia Child lanches laranja latex legumes leite lembrancinha liquidificador livros Lua Azul lula macarrão macarrão. cogumelo maçãs mães maisena marshmallow massa biscuit massa folhada massas massas salgados melão mexerica mexilhão miçangas militares mirtilo mocidade moda modelagem molhos Mômo morango mousse mulheres mulheres militares mundo música nata natal natureza nostalgia nozes Olgas Olimpíadas do Rio2016 orgânicos orquideas outono ovos paçoquinha paella pães palmito pão pão de mel pão-de-ló papelão Páscoa passas passatempos passeios pasta americana pastel pastelão pavê pedrarias peixes Pentecostes pesquisa pets Pinacoteca pintura pinturas pirulito pizza polvo pôr-do-sol Portugal Praça Benedito Calixto pratos etnicos presentes primavera professor professores profissionalismo psicologia pudim QFO queijo radio recheios reciclagem reclamação reflexões debaixo do pé de couve refogados reformas reserva resina restauração. retalhos retro ricota Rio de Janeiro rocambole rocamboles rosas roubo sacolinhas saladas salgados salmão salsinha São Paulo sapateira sashimi Sebastian seriados sites sobremesas soja sopa instantânea sorvetes spam stollen strudell suco artificial suflê sujeira supermercado suspiro tâmaras tapete tapioca tecidos terremotos torta tortas trânsito trigo TV uvas vapor vegetais vestido viagem vida na caserna vila inglesa vintage virus vizinhança vôngole voz Waldorf wassabi

Total de visualizações de página