sexta-feira, 24 de julho de 2009

Mais uma de "antes e depois"
























Tivemos a oportunidade de adquirir o apartamento de um amigo e vizinho nosso no começo de 2009. Como todos os apartamentos deste nosso prédio, o dele necessitava de algumas alterações para se tornar funcional. A cozinha tinha cara de "anos 70", as instalações elétricas e a parte hidraulica estava um desastre, mas mesmo assim valeu a pena nosso sacrifício e algum tempo de reforma.
Optei em transformar a cozinha em um ambiente prático para mim, que tenho pouco mais de 1 metro e meio de altura. Chega de "cozinhas planejadas",da marca tal e tal, de "coisas dentro dos padrões" (eu não sou padrão!!), tudo o que os vendedores e projetistas tentam empurrar pra gente, sem pensar na nossa idade ou condição física. Com pouco dinheiro, trocamos a hidráulica da cozinha e sua parte elétrica ficou compatível com os eletrodomésticos atuais (agora posso ligar um liquidificador com o chuveiro ligado, sem ter medo de o disjuntor cair!). Como gosto de coisas retro por conta de seu conforto e beleza, trocamos os azulejos por brancos e vermelhos, mandamos colocar cimento vermelhão estilo cozinha de fazenda(isso mesmo!) no chão e jogamos fora os antigos armários, deixando meu material de trabalho todo exposto e de fácil acesso em prateleiras simples.
Quebramos a parede que dava para a sala, transformando em um balcão que une a cozinha a uma "adega", que conseguimos adaptar no corredor, ampliando assim a sala para que as meninas pudessem ter um espaço para suas artes.
Seguindo meus intintos e indo na contramão de todos os que deram opinião, coloquei na pia baixa (adequada a minha altura) e no balcão um mármore branco, quase sem manchas, que conseguimos com a boa vontade dos fornecedores da marmoraria que sempre compramos. O contraste do mármore branco com o vermelho da cerâmica de fundo da pia ficou lindo. Sob a pia, nada de estravagâncias: prateleiras acessíveis e a tradicional cortininha xadrez vermelha, feita por mim mesma. Os acessórios lembram as cozinhas de 50 e 60. Meu "retrô caipira" já chamou atenção de muita gente, que gostou da idéia e copiou. Agora podemos dizer que temos um "espaço gourmet", tão em moda nos novos empreendimentos imobiliários, embora eu continue gostando dela como meu laboratório de experiências gustativas.
A necessidade é a mãe da invenção: quem não pode comprar na Daslú vai ao Center Norte ou à Boutique JP (José Paulino) e quem observa com atenção sempre aprende. Continuo costurando minhas próprias cortinas e almofadas, pintando e reciclando meus móveis mais práticos, observando o que de bonito ainda a gente tem. Não me envergonho de dizer que fiz isto ou aquilo, pois mesmo antes dos "ecochatos" virem com a palavra "reciclagem", já fazíamos em casa pequenas reformas e "reciclagens".
Ganhei também meu tão sonhado espaço para desenhos e pinturas, pegando o quarto do fundo só para mim.
Disso tudo, fica a boa sensação de fazer alguma coisa para seus filhos e para si mesma. Cada pedaço que coloco tem um pouquinho de mim. Se transformo o antigo guarda-roupas em uma estante, não foi por "pãodurismo", porém porque enxergo "potencialidades" nas coisas e as transformo em algo bonito e funcional.
Agora, vocês todos, meus amigos, estão convidados para um café com bolo, quando quiserem aparecer.
Como diz o caipira: pode entrar, que a casa é sua!

6 comentários:

Iliane disse...

ah..Cy..ficou linda a sua cozinha novinha em folha..eu sempre acho..que quem decora a casa da gente é a gente mesmo...o gosto de fazer aquilo que quer não tem preço..tem quaidade de vida..linda a sua cozinha amiga..bjus

Tânia Saj disse...

Cy...adorei a originalidade, a funcionalidade e acima de tudo, a sua coragem de fazer como seu instinto mandava, sem dar trela prá padrões pré-estabelecidos.
O que mais me chamou a atenção foi o piso!!
Ficou lindo seu espaço-gourmet!!
E não tem que ter vergonha de reciclar e fazer, tem sim é que ter muito orgulho pela capacidade criativa que Deus lhe deu!
Parabéns, parabéns, parabéns!!!!

Qualquer dia vou aceitar seu convite e tomar café com bolinho de fubá, viu???rs

Monica Loureiro disse...

Achei este post seu tudo de bom..
É tudo o que eu penso e naõ conseguia expressar...

Edna Costa disse...

Amiga, fiquei "de cara" com a reforma do seu apto. Sua cozinha está linda demais! E o restante não precisa nem falar, né? Continue fazendo suas "artes" porque a casa da gente tem que ter nossa marca de amor. Beijão e, sim, aceito o convite pra tomar um café com bolo, quem sabe mais breve do que esperamos. Cuidem-se.

Bruna maria disse...

Olá Cy!A-D-O-R-E-I sua cozinha,achei incrivel to mudando a minha e pude ver concretizado o meu plano no seu lindo projeto,perfeito.bjus!!

La petite gourmande disse...

Achei lindissima a cozinha, vc esta certa em reciclar, além de gastar menos o seu modelo é unico pq foi criado por vc... adorei a cortina da pia!

Marcadores

abobrinha acrílico açúcar mascavo Aeronáutica alcachofra Alemanha almôndegas Altamiro Carrilho Alzheimer amigos amora animações animais aniversário Ano Novo anos 60 antroposofia Aparecida aposentados arroz artes plásticas artesanato Áustria aveia avelãs azeite bacalhau bairro bananas barbante Barbara Fürstenhöfer batatas Bienal do Livro SP bifum bijuteria biscoitos biscouit bolinhas bolinhos bolos bombons boneca brinquedos Bruce Buche de Noel café capas casinha de bonecas casinhas de papelão castanhas catupiry CD cenoura cerâmica chantily charges cheesecake chocolate chorinho chuchu chuvas de verão cidade cinema clima Clube da Aeronáutica (RJ) coalhada coco cogumelos colar comida caseira compotas condomínio confeitaria confeitos contos de fadas coragem coral corrida de São Silvestre costura cotidiano cremes CRFA crianças cristãos crochê crônica culinaria culinária culinária. livros cultura Cunha cupuaçu damascos decoração Dengue desenhos dia de reis dicas doces docinhos documentos educação empadas Encontro QFO enfeites entrada ervas escultura FAB familia família farinha farinha integral feltro festas fitas flores fonoaudiologia forno foto fotos antigas framboesa frango frituras frutas frutas cristalizadas frutas secas frutos do mar Fundação Casper Líbero ganache gatos gelados gelatina geléia genealogia glacê real golpes grãos gratinado gratinados groselha guaraná guirlanda Helena Sangirardi História histórias idéias para festas idoso imaginação imigrantes imitação. inspiração intercâmbios interior inverno iogurte Japão Jesus Julia Child lanches laranja latex legumes leite lembrancinha liquidificador livros Lua Azul lula macarrão macarrão. cogumelo maçãs mães maisena marshmallow massa biscuit massa folhada massas massas salgados melão mexerica mexilhão miçangas militares mirtilo mocidade moda modelagem molhos Mômo morango mousse mulheres mulheres militares mundo música nata natal natureza nostalgia nozes Olgas Olimpíadas do Rio2016 orgânicos orquideas outono ovos paçoquinha paella pães palmito pão pão de mel pão-de-ló papelão Páscoa passas passatempos passeios pasta americana pastel pastelão pavê pedrarias peixes Pentecostes pesquisa pets Pinacoteca pintura pinturas pirulito pizza polvo pôr-do-sol Portugal Praça Benedito Calixto pratos etnicos presentes primavera professor professores profissionalismo psicologia pudim QFO queijo radio recheios reciclagem reclamação reflexões debaixo do pé de couve refogados reformas reserva resina restauração. retalhos retro ricota Rio de Janeiro rocambole rocamboles rosas roubo sacolinhas saladas salgados salmão salsinha São Paulo sapateira sashimi Sebastian seriados sites sobremesas soja sopa instantânea sorvetes spam stollen strudell suco artificial suflê sujeira supermercado suspiro tâmaras tapete tapioca tecidos terremotos torta tortas trânsito trigo TV uvas vapor vegetais vestido viagem vida na caserna vila inglesa vintage virus vizinhança vôngole voz Waldorf wassabi

Total de visualizações de página